Mais da metade da população de BH vai presentear no Natal, diz pesquisa

Estudo da Fundação IPEAD da UFMG apontou que as lembranças, na grande maioria, podem superar os R$ 100 O consumidor de Belo Horizonte está animado com o Natal e pretende gastar mais neste ano, se comparado com 2021. Pesquisa feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis (IPEAD) da UFMG indicou que, em 2022, o número de consumidores que vão realizar compras natalinas é de 62,83%, ante aos 58,10% que presentearam no ano passado. O ticket médio na capital também subiu, segundo o estudo. Neste ano, 48% da população afirma que vai gastar mais de R$ 100. No ano passado, o percentual apurado foi de 35%. O crescimento ocorreu na contramão do número de consumidores que informaram um […]

Continue lendo...

IPEAD/UFMG: maior parte de moradores de BH tem intenção de dar presentes neste Natal

Capital mineira também registra, em novembro, uma alta no custo de vida, impulsionada pelo aumento na gasolina A maior parte dos moradores de Belo horizonte pretende presentear alguma pessoa no Natal, sendo esse percentual superior ao apurado em 2021. Além disso, o valor médio dos presentes a serem adquiridos em 2022 também está superior. As conclusões foram obtidas pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG (IPEAD) da UFMG através da pesquisa Pretensão de compra para o Natal, que é aplicada em novembro juntamente com o Índice de Confiança do Consumidor de Belo Horizonte (ICC BH). O detalhamento pode ser conferido no site do IPEAD. Neste ano, 62,86% dos entrevistados afirmaram que pretendem presentear alguma pessoa no Natal, sendo esse […]

Continue lendo...

Inflação menor e 13º salário devem turbinar as compras de Natal em BH

Natal e férias à vista e 13º salário no bolso. Essa combinação de fim de ano anima os consumidores e eleva o otimismo dos lojistas. Apesar do alto custo de vida em 2022, a magia dessa época acaba contagiando os trabalhadores a saírem às compras. Seis a cada dez belo-horizontinos pretendem presentear alguma pessoa no Natal. Muitos garantem que o abono natalino será usado para pagar dívidas, mas outros não querem se privar e afirmam que vão gastar. A pretensão de compra aumentou 13,93% em novembro em relação a outubro na capital mineira.  É o que mostra levantamento do Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead/UFMG) divulgada nesta sexta-feira (2). O resultado da pesquisa aponta que […]

Continue lendo...

Divulgação dos índices do mês novembro/22 + Pretensão de compra para o Natal – Fundação IPEAD/UFMG

O IPEAD/UFMG – Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG divulga, em primeira mão, os resultados dos estudos/pesquisas realizadas no mês de novembro de 2022. Destaques: – O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA, apresentou avanço de 0,26% no mês de novembro. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados. Os maiores destaques, em termos de variação, foram as altas de 7,42% para Alimentos in natura, 2,96% para Bebidas em bares e restaurantes e 2,40% para Vestuário e complementos. No sentido oposto, destacam-se as quedas de 1,91% para Alimentos industrializados e 1,64% para Alimentos elaboração primária. – O produto de maior contribuição para o aumento no custo de vida em novembro foia Gasolina comum, com aumento de 1,89%. – A inflação […]

Continue lendo...

Inflação volta a subir em BH após 3 meses de queda

A inflação em Belo Horizonte voltou a subir em outubro após três meses consecutivos de queda. De acordo com os dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) apresentou uma leve alta de 0,51%. A alta é resultado, principalmente, do preço da refeição, que subiu 2,3% no décimo mês de 2022. Com o aumento do custo mensal, a inflação na Capital acumula elevação de 4,95% nos primeiros 10 meses do ano e de 6,91% nos últimos meses.  De acordo com o gerente de Pesquisa do Ipead, Eduardo Antunes, a alta da inflação observada em outubro era esperada após três meses de retração. O índice de aumento […]

Continue lendo...

Belo-horizontinos vão usar o 13º salário para pagar dívidas: presentes, só se sobrar

O pedagogo Breno César de Sousa, de 40 anos, iniciou 2022 já planejando o que fazer com as parcelas do 13º salário a serem recebidas no final do ano. “Essa decisão já foi pensada desde o início do ano”, conta. Na lista de destinação do abono, nada de presentes, festas ou diversão: “defini que quando chegasse o 13º eu iria amortizar as parcelas do carro”, conta. O planejamento do Breno é o mesmo da maioria dos consumidores em Belo Horizonte. Pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis da Universidade Federal de Minas Gerais (Ipead/UFMG) nessa sexta-feira (4) mostra que mais de 66% dos entrevistados vão destinar o abono de fim de ano para pagar dívidas (37,61%) ou […]

Continue lendo...

Já é hora do 13º? Pesquisa revela com o que os trabalhadores pretendem gastá-lo

Intenção de uso de 13º para viagens caiu em 2022 — Foto: USP Imagens/Fotos Públicas A decoração de Natal já chegou às lojas em Belo Horizonte e, agora, a aproximação do 13º salário é mais uma lembrança do final do ano. Com a perspectiva do pagamento, os trabalhadores começam a planejar a destinação do dinheiro e, como tem sido tradicional nos últimos anos, pagar dívidas é o principal objetivo da maior parte das pessoas que recebem o 13º, segundo pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (IPEAD/UFMG), divulgada nesta sexta-feira (4). O pagamento de débitos como faturas de cartão de crédito, cheque especial e financiamento é a prioridade para 37,6% dos trabalhadores que têm direito […]

Continue lendo...

Custo de vida em Belo Horizonte sobe pelo segundo mês consecutivo

O custo de vida em Belo Horizonte continua a castigar o consumidor. Em outubro, a alta dos preços, medidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apresentou um avanço de 0,51% em relação a setembro. É o que aponta estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis da Universidade Federal de Minas Gerais (IPEAD/UFMG) nesta sexta-feira (4). É o segundo mês de avanço após três meses de recuo – junho, julho e agosto. O resultado é baseado na pesquisa de preços de produtos agrupados em 11 itens agregados. Os maiores culpados por essa alta são os Alimentos in natura, que subiram 5,32%; os Alimentos industrializados, com alta de 2,63%; e a Alimentação em restaurante, 1,75% mais […]

Continue lendo...

Consumidor confia mais na economia em BH, mas vê piora em finanças da família

Fundação Ipead/UFMG mensura a confiança dos belo-horizontinos com a situação econômica nacional; índice aumentou em outubro de 2022 O consumidor em Belo Horizonte está mais confiante com a economia do país, mas preocupado com as finanças da família, mostra levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead/UFMG). Em outubro deste ano, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido pela entidade todos os meses, subiu 5,7%, em comparação ao mês anterior, e chegou a quase 41 pontos. A medida vai de zero a cem e, abaixo de 50, indica pessimismo com a economia. O ICC leva em consideração dois fatores principais: o Índice de Expectativa Econômica (IEE), que reúne a percepção sobre situação econômica […]

Continue lendo...

Divulgação dos índices do mês outubro/22 + Destino do 13º salário – Fundação IPEAD/UFMG

O IPEAD/UFMG – Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG divulga, em primeira mão, os resultados dos estudos/pesquisas realizadas no mês de outubro de 2022. Destaques: – O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA, apresentou avanço de 0,51% no mês de outubro. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados. Os maiores destaques, em termos de variação, foram as altas de 5,32% para Alimentos in natura, 2,63% para Alimentos industrializados, 2,42% para Alimentação em restaurante e 1,75% para Artigos de residência. No sentido oposto, destacam-se as quedas de 3,07% para Alimentos elaboração primária e 2,18% para Bebidas em bares e restaurantes. – O produto de maior contribuição para o aumento no custo de vida em outubro foi a Refeição, com aumento […]

Continue lendo...