Divulgação dos índices do mês setembro/22 + Pesquisa Pretensão de compra Dia das Crianças – Fundação IPEAD/UFMG

O IPEAD/UFMG – Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG divulga, em primeira mão, os resultados dos estudos/pesquisas realizadas no mês de setembro de 2022. Destaques: – O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA, apresentou queda de 0,24% no mês de setembro. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados. Os maiores destaques, em termos de variação, foram as quedas de 3,10% para Alimentos elaboração primária e 2,13% para Transporte, Comunicação, Energia Elétrica, Combustíveis, Água e IPTU. No sentido oposto, destacam-se as altas de 5,34% para Alimentos in natura, 4,71% para Bebidas em bares e restaurantes, 1,48% para Encargos e manutenção e 1,09% para Alimentação em restaurante. – O produto de maior contribuição para o recuo no custo de vida em setembro foi […]

Continue lendo...

Custo de vida em BH, ainda elevado, cai com diminuição do preço da gasolina

Inflação na capital diminui, segundo o Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas (Fundação Ipead/UFMG), porém continua em patamar considerado elevado O custo de vida em Belo Horizonte diminuiu em agosto, impulsionado pela queda no preço da gasolina e da energia elétrica. Por outro lado, a alimentação em casa, especialmente com alimentos industrializados, teve uma alta no último mês, em relação a julho de 2022. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) da capital, medido pelo Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas (Fundação Ipead/UFMG) e divulgado nesta sexta-feira (2), caiu 1,09% em um mês.  Foi a menor redução mensal do IPCA em BH desde a implantação do Plano Real. Há tendência de mais quedas, mas isso não quer dizer que […]

Continue lendo...

Cesta básica fica mais barata em BH, mas ainda acima do patamar de R$ 600

Custando R$ 667,11, ela equivale a cerca de 55% do valor do salário mínimo, segundo o Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas (Fundação Ipead/UFMG) Seguindo a tendência de queda da inflação em Belo Horizonte, o preço da cesta básica na capital caiu 1,82% entre julho e agosto, segundo pesquisa do Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas (Fundação Ipead/UFMG), divulgada nesta sexta-feira (2). Hoje, ela custa R$ 667,11 — em julho, era R$ 679,49. A melhora foi impulsionada pelos alimentos in natura: o preço do tomate caiu quase 9,2%; o da batata inglesa, cerca de 14%; e o da banana caturra, praticamente 7%. O leite, que se tornou um vilão nas prateleiras nos últimos meses, ficou 3,25% mais caro. O gerente de pesquisa […]

Continue lendo...

Pesquisa da UFMG aponta queda no custo de vida em Belo Horizonte

Gasolina foi a principal responsável pela queda no custo de vida; combustível reduziu em 13,44% no mês de agosto  O IPEAD, por meio da gerência de pesquisa, concedeu entrevista a Record TV Minas, por meio do MG no Ar no dia 02/09/2022 e repercutiu dados das pesquisas econômicas realizadas no mês de agosto/2022. Fonte: Record TV Minas – 06/09/2022 por R7 MG no Ar Minas Gerais.

Continue lendo...

Belo Horizonte registra a segunda deflação seguida

IPCA fecha agosto com queda de 1,09%, a maior desde a implantação do Plano Real O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) voltou a recuar em Belo Horizonte pelo segundo mês consecutivo. O indicador, que mede o custo de vida, desta vez caiu 1,09% em agosto. Esta foi a maior queda nos preços da Capital desde a Implantação do Plano Real. A maior contribuição para a baixa veio da gasolina comum, com queda de 13,44% no mês, resultado das reduções de preços anunciadas pela Petrobras. Com a deflação mensal, o IPCA acumulado nos últimos 12 meses ficou abaixo de dois dígitos, encerrando agosto em 9,06%. Os dados são da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead) e foram divulgados na sexta-feira (2). O  gerente de Pesquisa do Ipead, […]

Continue lendo...

BH registra em agosto a maior deflação desde o Plano Real

A pesquisa do Ipead da UFMG constatou que o produto que mais contribuiu com o recuo foi a gasolina O custo de vida em Belo Horizonte registrou a maior queda desde a implantação do Plano Real. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mostrou que o custo de vida em agosto teve o maior recuo em agosto, de 1,09%. O produto que mais contribuiu para essa queda, segundo o Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG (Ipead/UFMG), foi a gasolina, com queda de 13,44% no mês. Além da gasolina, também foram destacados: 3,96% para transporte, comunicação, energia elétrica, combustíveis, água e IPTU; 3,66% para bebidas em bares e restaurantes;  3,21% para alimentos in natura;  1,71% para alimentação […]

Continue lendo...

Custo de vida em BH cai 1,09% em agosto, com destaque para a gasolina, aponta Ipead

A redução no preço da gasolina comum foi o principal fator para a queda no custo de vida em Belo Horizonte em agosto. Isso é o que revela o levantamento feito pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis (Ipead) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A análise feita com base no preço de produtos e serviços mostrou que o custo de vida na capital mineira caiu 1,09% no mês passado. Segundo o Ipead, é a maior queda desde a implantação do Plano Real. A maior responsável por isso foi a gasolina, que sofreu redução de 13,44% no mês. Outros setores que se destacaram com quedas foram Transporte, Comunicação, Energia Elétrica, Combustíveis, Água e IPTU (3,96%), Bebidas em Bares […]

Continue lendo...

IPEAD/UFMG: Belo Horizonte tem a maior queda no custo de vida desde implantação do Plano Real

Capital mineira registra, em agosto, variação negativa no custo da cesta básica e no valor da gasolina O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), teve a sua maior queda desde a implantação do Plano Real, com um recuo de 1,09% no mês de agosto. O produto de maior contribuição para a redução do custo de vida foi a Gasolina Comum, com queda de 13,44% no mês. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços realizada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG (Ipead/UFMG). Os estudos completos podem ser encontrados no site do Ipead. Os maiores destaques, em termos de variação, foram as quedas de 3,96% para Transporte, […]

Continue lendo...

Divulgação dos índices do mês agosto/22 – Fundação IPEAD/UFMG

É com muita satisfação que o IPEAD/UFMG – Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG vem divulgar, em primeira mão, para toda a sociedade e imprensa os resultados dos estudos/pesquisas realizadas no mês de agosto de 2022. Destaques: – O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA, apresentou uma queda de 1,09% no mês de agosto. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados. Os maiores destaques, em termos de variação, foram as quedas de 3,96% para Transporte, Comunicação, Energia Elétrica, Combustíveis, Água e IPTU, 3,66% para Bebidas em bares e restaurantes, 3,21% para Alimentos in natura, 1,71% para Alimentação em restaurante, 1,64% para Artigos de residência e 1,24% para Vestuário e complementos. No sentido oposto, destacam-se as altas de 1,61% […]

Continue lendo...

Preço da cesta básica cai em Belo Horizonte e passa a custar R$ 679

A informação é da pesquisa divulgada nesta quarta-feira (3) pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis (Ipead) da UFMG A cesta básica apresentou queda de 0,16% no mês de julho em Belo Horizonte, batendo o preço de R$ 679,49. Este é o terceiro mês seguido de queda no preço do item. O custo de vida na capital mineira também recuou, com uma queda de 0,27% no último mês. Os dados são de uma pesquisa divulgada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis (Ipead) da UFMG, nesta quarta-feira (3). De acordo com o estudo, os principais produtos responsáveis pela queda de preço da cesta básica foram o tomate (28,94%), a batata inglesa (18,12%) e o feijão carioquinha […]

Continue lendo...