Em 12 meses, índice que mede custo de vida dos mais pobres em BH foi maior

As famílias menos abastada na Região Metropolitana de Belo Horizonte sentiram mais os efeitos da inflação do que a classe com maior poder aquisitivo no acumulado dos últimos doze meses. É o que revela a comparação entre dois indicadores calculados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O primeiro é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), criado para medir a evolução dos preços de produtos e serviços às famílias com rendimentos de um a cinco salários mínimos (até R$ 4.990).  O segundo é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que avalia o sobe e desce dos preços de produtos e serviços às famílias que possuem renda entre um e 40 salários mínimos (até R$ […]

Continue lendo...

Conta de energia terá aumento em julho em Belo Horizonte

A conta de luz em Belo Horizonte terá aumento em julho. O acréscimo de 7,2% na energia elétrica foi um dos principais fatores para a inflação do mês de junho. A TV Record por meio do Balanço Geral MG entrevistou a Coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento da Fundação IPEAD-UFMG, Thaize Martins, e repercutiu a pesquisa da inflação, comentando o aumento da conta de energia elétrica em BH. Clique abaixo e assista a entrevista completa: Fonte:  TV Record por meio do Balanço Geral MG (Portal R7) publicado em 08/07/2019.

Continue lendo...

Energia impulsiona inflação em BH em Junho

A inflação em Belo Horizonte registrou alta de 0,16% em junho, impulsionada principalmente pela tarifa de energia elétrica, que apresentou elevação de 7,20% no período. No acumulado de 12 meses, o indicador atingiu 3,96%, sendo a primeira vez que ficou abaixo da meta para o ano, que é de 4,25%. No primeiro semestre de 2019, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo(IPCA) na Capital apresentou incremento de 2,52%. Os dados foram divulgados ontem pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais, ligada à Universidade Federal de Minas Gerais (Ipead/UFMG). Coordenadora de pesquisa da Ipead/UFMG, Thaize Martins explica que o índice no acumulado de 12 meses ficou abaixo da meta principalmente porque deixou de refletir o impacto […]

Continue lendo...

Pesquisa da Cesta Básica

A rádio Itatiaia entrevistou a Coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento da Fundação IPEAD-UFMG, Thaize Martins, e repercutiu a Pesquisa da Cesta Básica. Clique abaixo e ouça a entrevista completa: Título: Preço da cesta básica dispara e revolta população de BH: ‘Brasileiro vai começar passar fome’ Fonte: Rádio Itatiaia – Reportagem de Clever Ribeiro – Publicado em 22/06/2019.

Continue lendo...

O que é mais vantajoso: comer fora ou em casa?

A Rádio Itatiaia entrevistou a Coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento da Fundação IPEAD, Thaize Martins, e repercutiu a pesquisa do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) sobre o  item Alimentação. Clique abaixo e ouça a entrevista completa: Fonte: Rádio Itatiaia – Publicado em 12 de Junho de 2019, por Alessandra Mendes.

Continue lendo...

Dispara o custo da cesta básica em BH; preço dos produtos quase dobrou em 10 anos

“A solução é pesquisar, reduzir o consumo de determinados produtos ou substituí-los por outros”, aconselha o representante comercial Sérgio Soares, de 55 anos, diante de duas estatísticas divulgadas ontem sobre o custo da cesta básica em Belo Horizonte. Na primeira, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead/UFMG) constatou que o preço da chamada ração mínima quase dobrou em 10 anos.  Na segunda, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) concluiu que o morador da capital que recebe um salário mínimo (R$ 998) trabalha quase 94 horas por mês para adquirir uma cesta básica. “O preço dela quase dobrou em 10 anos. Avançou de R$ 225,76, em maio de 2009, para R$ 445,09 […]

Continue lendo...

Inflação em Belo Horizonte registra alta de 0,27% em maio

A inflação em Belo Horizonte, no mês de maio, registrou alta de 0,27% na relação com abril. Entre os principais itens a impactar o índice esteve a gasolina, que subiu 1,96%. O combustível tem importante peso no indicador devido à representatividade no orçamento das famílias. Os dados foram divulgados ontem pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas,Administrativas e Contábeis de Minas Gerais, ligada à Universidade Federal de Minas Gerais (Ipead/UFMG). Levando-se em conta a alta da inflação em maio, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) atingiu 2,36% no acumulado do ano. Em igual período de 2018, o indicador estava em 1,4%, mas ainda não havia o impacto da greve dos caminhoneiros, que pressionou os preços para cima. No acumulado […]

Continue lendo...

Divulgação dos índices do mês de maio de 2019 – Fundação IPEAD/UFMG

É com muita satisfação que o IPEAD/UFMG – Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG vem até este veículo de comunicação divulgar, em primeira mão, os resultados dos estudos/pesquisas realizadas no mês de maio de 2019 e disponibiliza profissionais especialistas para atender às suas demandas e prestar os esclarecimentos necessários. Destaques: O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA e pelo IPCR, subiu 0,27% no mês de maio/2019 ao ser comparado com o mês de abril. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados. Os maiores destaques do mês, em termos de variação, foram as as altas de 6,63% para Vestuário e complementos, de 4,34% para Bebidas em bares e restaurantes e de 1,01% para Encargos e manutenção. Adicionalmente, destaca-se que […]

Continue lendo...

Preço ‘oficial’ da gasolina em Minas é o mais alto do Brasil

Valor é usado como referência para a cobrança do ICMS sobre o combustível  Minas Gerais tem o maior preço de referência para o cálculo do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da gasolina comum no país: R$ 5,0473, por litro. É o chamado Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF), que passou a vigorar nesta quinta-feira (17). Antes, o preço considerado para tributação era de R$ 4,9516.  A tabela com os valores a serem usados como referência pelas unidades federativas do país foi divulgada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Depois de Minas, o Acre ocupa a segunda posição entre os preços médios ponderados mais altos do país (R$ 5,0226), seguido pelo Rio Grande de Norte […]

Continue lendo...

Promoção é aposta para estimular mais gasto em shoppings

‘Comprou, ganhou’ e sorteio de brindes incentivam tíquete médio mais alto Para atrair o consumidor no mês das mães, shoppings de Belo Horizonte e região metropolitana oferecem brindes e participação em sorteios de viagens, vale-compras, móveis e carros. E para participar, basta comprar um valor estabelecido pelo centro de compras, que varia de R$ 150 a R$ 550,dependendo do local. O funcionário público José Geraldo Pereira Leal admite que as promoções estimulam a gastar mais. “Comprei presentes de Dia das Mães para minha esposa e minha nora. Ainda faltam alguns”, diz. A engenheira civil Vivian da Silva de Jesus afirma que não éconsumista, mas, para participar de um sorteio, se estiver faltando pouco e oproduto for necessário, ela completa o […]

Continue lendo...