IPCA – Inflação: custo de vida em BH sofre aumento de 1,05% em dezembro

No balanço anual, a inflação acumulada em 2022 chegou a 6,33%, sendo que a meta definida pelo Conselho Monetário Nacional era de 3,5%

O Instituto de Pesquisas Econômicas e Administrativas (Fundação Ipead), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), divulgou nesta sexta-feira (6/1) que o custo de vida em Belo Horizonte aumentou 1,05% no mês de dezembro, alavancado pela prestação de serviços odontológicos, que registraram um crescimento de 8,21%, seguido pelo automóvel novo e passagem aérea.

No balanço anual, a inflação acumulada em 2022 chegou a 6,33%, sendo que a meta definida pelo Conselho Monetário Nacional era de 3,5%. O automóvel novo foi o maior destaque entre os produtos, com alta de 16,69%. Na sequência, aparecem custos com o empregado doméstico, seguro voluntário de veículos, IPTU e condomínio.

“Ao longo de 2022, a gente acompanhou que a inflação quase chegou a bater o teto de 12% ao ano, teve um arrefecimento bem substancial e fechou em 6,33%. Na parte alimentar dos componentes de inflação, a variação foi de 12,9%, enquanto a parte não alimentar ficou em 5,04%”, disse Eduardo Antunes, gerente de pesquisa da Fundação Ipead/UFMG.

De acordo com ele, ainda é muito cedo para avaliar um impacto da mudança de governo, não sendo possível fazer projeções para os próximos balanços. “Com relação aos principais produtos, que mais contribuíram para a inflação na cidade de Belo Horizonte, a gente tem o leite com 35,35%, o pão francês com uma alta de 18% e a refeição fora de casa que subiu 11,31%”, revelou.

ICC contribui para comércio avaliar comportamento 

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC-BH) atingiu 43,79 pontos em dezembro, apresentando alta de 4,44%. Desenvolvido pela Fundação Ipead/UFMG, o índice mede a opinião dos consumidores da capital mineira em relação a diversos aspectos que podem afetar suas decisões de consumo no curto, médio e longo prazo.

O índice é composto por dois grupos: Índice de Expectativa Econômica (IEE) e Índice de Expectativa Financeira (IEF). Todos os itens de composição do ICC-BH, bem como o índice geral, são apresentados na escala de 0 a 100, em que 0 representa pessimismo total e 100 representa otimismo total. O índice 50 demarca a fronteira entre a situação de pessimismo e otimismo.

Fonte: Jornal Estado de Minas – Publicado em 06/01/2023.

Posted in Cesta Básica, ICC - BH, Inflação, IPC and tagged .

Assessoria de Comunicação Fundação IPEAD

View posts by Assessoria de Comunicação Fundação IPEAD

Assessoria de Comunicação Fundação IPEAD - ipead@ipead.face.ufmg.br