Inflação na Capital avança 1,45% em junho, aponta Ipead

Planos de saúde, automóveis e leite impulsionaram alta O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA, avançou 1,45% no mês de junho, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead). A alta, a maior do ano desde janeiro, reflete principalmente o aumento dos planos de saúde, que foram reajustados em 15,4%, além do automóvel novo e do leite, que tiveram altas de 2,78% e 10,71%, respectivamente.  A diminuição no preço da gasolina, de 1,19%, e do etanol, 8,93%, não foi suficiente para reduzir o índice de inflação na capital mineira. Segundo o gerente de Pesquisas da Fundação Ipead, Eduardo Antunes, este é um índice muito elevado, que passa longe de qualquer normalidade. […]

Continue lendo...

Divulgação dos índices do mês junho/22 – Fundação IPEAD/UFMG

É com muita satisfação que o IPEAD/UFMG – Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG vem divulgar, em primeira mão, para toda a sociedade e imprensa os resultados dos estudos/pesquisas realizadas no mês de junho de 2022. Destaques: – O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA, avançou, apresentando um aumento de 1,45% no mês de junho. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados. Os maiores destaques, em termos de variação, foram as altas de 7,66% para Saúde e cuidados pessoais, 4,16% para Alimentos elaboração primária, 2,37% para Encargos e manutenção, 2,06% para Artigos de residência e 1,23% para Alimentos industrializados. No sentido oposto, destaca-se a queda de 3,62% para Alimentos in natura. – O produto de maior contribuição para […]

Continue lendo...

Divulgação dos índices do mês maio/22 e Pretensão de compra para o Dia dos Namorados – Fundação IPEAD/UFMG

É com muita satisfação que o IPEAD/UFMG – Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG vem até este veículo de comunicação divulgar, em primeira mão, os resultados dos estudos/pesquisas realizadas no mês de maio de 2022. Destaques: – O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA, avançou, apresentando um aumento de 0,07% no mês de maio. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados. Os maiores destaques, em termos de variação, foram as altas de 7,42% para Vestuário e complementos, 1,38% para Alimentos elaboração primária e 1,18% para Alimentos industrializados. No sentido oposto, destaca-se a queda de 8,39% para Alimentos in natura. – O produto de maior contribuição para o aumento no custo de vida em […]

Continue lendo...

As estratégias do consumidor para driblar a disparada dos preços

Consumidores recorrem a hábitos como compras no atacado ou divididas entre famílias para escapar dos reajustes constantes e garantir produtos na mesa A disparada dos preços dos itens essenciais da cesta básica em Belo Horizonte e na região metropolitana leva os consumidores a adotarem comportamentos muito comuns nos anos 1980 e 1990, quando o Brasil amargou crise econômica e teve perdas inflacionárias altíssimas. A preferência por atacados e pelo antigo hábito de dividir compras entre familiares e vizinhos tornou-se necessidade imediata para aproveitar promoções e driblar os constantes aumentos que caem sobre o bolso. O consumidor sente de forma imediata a variação nos preços no país, puxada justamente pela alta nos combustíveis e nos alimentos. No mês passado, o Índice Nacional de Preços […]

Continue lendo...

Ipead/UFMG: BH registra alta na intenção de presentear no Dia das Mães e aumento no custo de vida com preço da alimentação

Desenvolvida anualmente pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG (Ipead/UFMG), a pesquisa especial Pretensão de compra para o Dia das Mães de 2022, aplicada juntamente com o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de Belo Horizonte, mostra que a maioria dos entrevistados, 59,52%, pretende presentear a mãe ou alguma pessoa próxima no Dia das Mães, comemorado neste domingo, dia 8 de maio, o que significa uma alta de 16,77% em relação ao ano passado. Dentre os consumidores que pretendem presentear, observou-se que o valor médio dos presentes a serem adquiridos em 2022 está superior ao de 2021, alta de 6,97%, sendo o valor médio apurado igual a R$95 neste ano, enquanto no ano anterior o valor foi de […]

Continue lendo...

Valor da cesta básica em BH chega a quase 60% de um salário mínimo

Nos últimos 12 meses, cesta básica já acumula alta de 28,61% na capital e agora custa R$ 716,26; ‘vilões’ em abril foram tomate, batata e pão de sal Quem mora em Belo Horizonte sente no bolso os impactos do aumento do custo de vida na cidade. Dados apresentados pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas Administrativas e Contábeis (Ipead) de Minas Gerais apontam que a cesta básica teve uma alta de 3% em abril, chegando a R$ 716,26, equivalente a 59,10% do salário mínimo atual. Esse é o maior valor atingido pela cesta básica em BH. O custo médio da cesta básica representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação, baseada em 13 produtos, conforme o Decreto-Lei 399/38. Em […]

Continue lendo...

Pesquisa revela aumento no custo de vida em Belo Horizonte

O trabalhador já gasta cerca de 60% do salário mínimo na compra de produtos básicos, como arroz, feijão, açúcar e café  Repercussão da pesquisa da cesta básica do mês de abril de 2022 realizada pela Fundação IPEAD, por meio da Record TV Minas em 04/05/2022. “O custo de vida em Belo Horizonte voltou a aumentar no mês de abril. A Fundação IPEAD/UFMG divulgou nesta quarta-feira (4) dados que apontam um aumento significativo no valor de produtos na capital mineira. O trabalhador já gasta cerca de 60% do salário mínimo na compra de produtos básicos, como arroz, feijão, açúcar e café”. Fonte: Record TV MG e Portal R7 MG em 04/05/2022

Continue lendo...

Preço da gasolina contribui para a subida do custo de vida em BH

Combustível registra alta de 2,03% nos preços na capital mineira, enquanto cesta básica chega ao valor de R$ 716,26, conforme estudo divulgado pelo Ipead O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,86% em Belo Horizonte em abril, segundo estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead), da UFMG. A gasolina comum, com alta de 2,03% nos preços, foi o produto que mais contribuiu para esse aumento. Alimentos industrializados (4,06%) e de elaboração primária (3,82%), além de vestuário e complementos (2,32%), apresentaram as maiores variações positivas. Também houve majoração em alimentação em restaurante (2,07%), saúde e cuidados pessoais (1,96%) e artigos de residência (1,26%). Em compensação, bebidas em bares e restaurantes sofreram queda de 1,22%. No […]

Continue lendo...

Inflação de BH avançou 0,86% em abril, aponta Ipead

Com uma alta de 11,54%, o tomate foi um dos principais pesos no aumento do custo da cesta básica na capital mineira | Crédito: Charles Silva Duarte/Arquivo DC O custo de vida, medido pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), teve alta em Belo Horizonte, apresentando variação de 0,86% no mês de abril, segundo pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais  (Ipead/UFMG). A inflação acumulada nos últimos 12 meses está em 11,33%, bem acima do centro da meta do Banco Central, de 3,5%. A cesta básica rompeu a barreira dos R$ 700, consolidando os alimentos como vilões do aumento de preços. O valor da cesta em abril foi de R$ 716,26, equivalente a […]

Continue lendo...

Divulgação dos índices de abril/2022 + Pretensão de compra para o Dia das Mães – Fundação IPEAD/UFMG

É com muita satisfação que o IPEAD/UFMG – Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG vem divulgar para toda sociedade e imprensa, em primeira mão, os resultados dos estudos/pesquisas realizadas no mês de abril de 2022. Destaques: – O custo de vida em Belo Horizonte, medido pelo IPCA, avançou, apresentando um aumento de 0,86% no mês de abril. O resultado foi obtido a partir da pesquisa de preços dos produtos/serviços que são agrupados em 11 itens agregados. Os maiores destaques, em termos de variação, foram as altas de 4,06% para Alimentos industrializados, 3,82% para Alimentos elaboração primária, 2,32% para Vestuário e complementos, 2,07% para Alimentação em restaurante, 1,96% para Saúde e cuidados pessoais, 1,26% para Artigos de residência. No sentido oposto, destaca-se a queda de 1,22% para Bebidas em bares […]

Continue lendo...