Desaceleração da inflação em BH perde força devido ao aumento nos alimentos in natura

A Fundação IPEAD divulga os resultados dos índices de inflação em Belo Horizonte da segunda prévia de abril de 2024. Destaques: – IPCA-BH sobe 0,28%, desacelerando em relação à quadrissemana anterior (0,34%). – Inflação sentida pelas famílias de 1 a 5 salários mínimos está em 0,14%. – Preços do Condomínio residencial e Aluguel residencial contribuem para alta da inflação. – Queda nos Preços das Excursões e Móvel para sala ajudaram a segurar a inflação. – Inflação acumulada nos últimos 12 meses pelo IPCA BH está em 6,15% e pelo IPCR está em 6,78%. Salientamos que os responsáveis pelas pesquisas estão à disposição para esclarecer dúvidas, gravar matéria específica para seu veículo de comunicação e agendar inserções em programas ao vivo, caso haja interesse. Atenciosamente, Renato Mogiz SilvaEconomista – Superintendente GeralFundação IPEAD/UFMG – Fundação Instituto de PesquisasEconômicas, Administrativas e Contábeis de MG(31) 3409-7110 / (31) 98419-9802www.ipead.face.ufmg.br

Continue lendo...

BH e região têm a maior inflação das capitais em um ano; entenda por quê

IBGE considera preços praticados entre março de 2023 e março de 2024 Belo Horizonte está próxima do topo de um ranking sem motivos de comemoração para os belo-horizontinos. A capital mineira e região tiveram, nos últimos 12 meses, a maior inflação das capitais do Brasil. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) da Grande BH foi de 5,07%, considerando o período de março de 2023 a março de 2024, porcentagem acima da nacional, de 3,93%.  Isso coloca a inflação de BH acima das demais capitais do Sudeste, todas elas com um Produto Interno Bruto (PIB) per capita maior que o da cidade mineira. A inflação de São Paulo e região no mesmo período, por exemplo, foi de 4,07%. Com uma […]

Continue lendo...

Inflação em BH mostra desaceleração na primeira prévia de abril, mas o custo da alimentação mantém elevação

A Fundação IPEAD divulga os resultados dos índices de inflação em Belo Horizonte da primeira prévia de abril de 2024. Destaques: – IPCA-BH sobe 0,34%, desacelerando em relação à quadrissemana anterior (0,52%). – Inflação sentida pelas famílias de 1 a 5 salários mínimos também desacelera para 0,14%. – Preços do Condomínio residencial e Aluguel residencial contribuem para alta da inflação. – Queda nos Preços do Móvel para sala e Batata inglesa ajudaram a segurar a inflação. – Inflação acumulada nos últimos 12 meses pelo IPCA BH está em 5,83% e pelo IPCR está em 6,73%. Salientamos que os responsáveis pelas pesquisas estão à disposição para esclarecer dúvidas, gravar matéria específica para seu veículo de comunicação e agendar inserções em programas ao vivo, caso haja interesse. Atenciosamente, Renato Mogiz SilvaEconomista – Superintendente GeralFundação IPEAD/UFMG – Fundação Instituto de PesquisasEconômicas, Administrativas e Contábeis de MG(31) 3409-7110 / (31) […]

Continue lendo...

Preço do queijo dispara e chega a ficar 20% mais caro em 2024; economista explica

“Entre janeiro de 2023 e janeiro de 2024, o preço do queijo subiu em média 9,7%. Tipos especiais, como gorgonzola e parmesão, tiveram alta de 20%. Já a mussarela ficou 3,7% mais cara. O economista Diogo Santos explica que a disparada está relacionada aos custos da comercialização do produto, como o preço do transporte, da mão de obra, da preparação e da refrigeração, até chegar ao consumidor final”. O IPEAD/UFMG, por meio do economista Diogo Santos concedeu entrevista a Record News e repercutiu o aumento dos produtos derivados do leite. Fonte: Record News – Publicado em 10/04/2024 – Reportagem Vinícius Rangel.

Continue lendo...

Todas as operações de crédito para empresas ficaram mais baratas em março

A Fundação IPEAD divulga os resultados da pesquisa de Taxa de Juros, realizada no mês de março de 2024. Destaques: – Seis (06) das quatorze (14) taxas médias de juros cobradas pelos bancos nas operações com pessoas físicas no mês de março apresentaram alta em relação ao observado no mês anterior. – Cai o custo de Construção Civil (Imóveis construídos) (-37,60%), Cooperativas de Crédito (empréstimo) (-6,22%) e Automóveis (Bancos e Financeiras) (-2,91%). – Quanto às taxas cobradas pelos bancos nas operações com pessoas jurídicas, todas apresentaram queda em relação ao mês anterior: Antecipação de faturas de cartão de crédito (-27,46%), Conta garantida (-5,29%), Capital de giro (-2,52%) e Desconto de duplicatas (-1,79%). – Entre as operações que apresentaram alta nas taxas de juros médias pode-se destacar a Construção Civil (Imóveis na planta) (17,86%). – Entre as taxas […]

Continue lendo...

Inflação sobe em BH puxada pelos preços de aluguel e de condomínio

Queda da batata inglesa ajudou a segurar indicador; levantamento foi divulgado pelo Ipead nesta sexta-feira (5/4) A inflação em Belo Horizonte, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu 0,52% em março, mostrando tendência de aceleração em relação a fevereiro, quando registrou alta de 0,24%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (5/4) pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Ipead). A inflação sentida pelas famílias mais vulneráveis, que recebem até 5 salários mínimos, porém, foi bem menor. O Índice de Preços ao Consumidor Restrito (IPCR) registrou uma alta de 0,18% em março, o que significou uma desaceleração em relação à fevereiro (0,25%).  Segundo o instituto, neste ano, o IPCA registrou um aumento acumulado […]

Continue lendo...